Alumínio: versátil e sustentável

Aplicado com frequência na construção civil, possui múltiplas finalidades. Desde rampas, pisos, revestimentos de paredes, escadas, esquadrias e até mesmo em fachadas, o alumínio possui excelentes propriedades físicas e estéticas, sendo um poderoso aliado dos arquitetos.

O alumínio é um metal leve, macio e resistente, o que o torna uma escolha vantajosa em projetos que necessitam dessas características. A exemplo do Origami Pavilion de Tal Friedman, uma estrutura feita unicamente de alumínio, onde suas placas são dobradas para dar rigidez à estrutura. A leveza do material permite fácil transporte e o seu uso traz à estrutura a finura desejada, como a uma folha de papel, e permite a esta a forma de um origami.

    

No caso do Origami Pavilion, a estrutura é composta de 8 chapas de alumínio compactadas. Outra forma de composição, que possui um ótimo desempenho termoacústico para fachadas, é o uso de paineis compostos por duas chapas de alumínio e uma camada de polietileno. Em vedações ou fechamentos de edificações é recomendado o uso de chapas duplas em conjunto com lã de rocha e paredes drywall.

As chapas de alumínio são excelentes isolantes térmicos, visto que refletem os raios solares. São muito resistentes à corrosão, sendo ideal para cidades litorâneas.

Dentre as vantagens do alumínio está o seu alto potencial para reciclagem. Apesar da sua produção consumir uma alta quantidade de energia, ele ainda é considerado um material sustentável, devido às suas características de fácil reciclagem (basta fundí-lo), de não degradação no processo de reciclagem e de possibilidade de reciclagem infinita sem perder suas propriedades. O alumínio também pode ser anodizado, processo que cria uma camada protetora que impede a oxidação. Além disso, é um dos processos de tratamento de metais menos agressivo ao meio ambiente, pois não contém solventes orgânicos ou metais pesados.

Um exemplo arquitetônico que utiliza estruturas tubulares pré-fabricadas de alumínio anodizado é o anexo ao Frac (Fundo Regional de Arte Contemporânea), projeto dos franceses Jakob + MacFarlane, em Orléans na França.

     

A estrutura chamada de “The Turbulences” funciona como extensão do prédio da Frac. É perceptível a maleabilidade e leveza que o alumínio oferece à fachada, e sua expressividade estética, que no projeto foi explorado através da instalação de centenas de diodos luminosos.

O Studio Daniel Libeskind também se apropria do alumínio para criar quatro esculturas reluzentes de 10 metros de altura instaladas na praça central da Expo Milão 2015.

Chamadas de “The Wings”, as estruturas serviam de tela para diversos padrões luminosos e exploravam as propriedades já citadas do alumínio, como a maleabilidade, que permite a criação de novas formas.

Fontes: https://www.galeriadaarquitetura.com.br

http://piniweb17.pini.com.br

https://www.archdaily.com.br

http://talfriedman.com/origami-pavilion

https://www.urdesignmag.com