Parque linear High Line, NYC

O sucesso do parque linear elevado High Line, em New York, surge a partir de ideias criativas vindas de cidadãos nova iorquinos para uma antiga linha férrea abandonada.

O High Line surgiu como um projeto de linha de trem para o transporte de mercadorias, para a parte Oeste da ilha de Manhattan, uma região industrial. A linha férrea causou muitos acidentes, o que fez com que aprovassem o Projeto de Melhoria do West Side, que incluiu a construção da linha elevada de trem, distanciando-a a 8 metros do nível do solo (ou seja, dos pedestres).

Fonte: Friends of The High Line

No ano de 1980, após décadas de crescimento do transporte rodoviário, os trens pararam de circular pelo High Line, deixando o local ocioso, vulnerável a violência. Por esse motivo, durante os anos 80, grupos de donos de propriedades localizadas abaixo do High Line reivindicavam a demolição da estrutura devido a degradação e desvalorização dos seus imóveis.

Em contrapartida, em 1999, o “Amigos do High Line foi fundado por residentes do bairro com o objetivo de defender a preservação e o reuso do mesmo como espaço público aberto. Para o projeto, foi criado um concurso aberto de propostas, o time vencedor do concurso foi o de James Corner Field Operations e Diller Scofidio + Renfro.

Fonte: Iwan Baan

O High line possui cerca de 2.5km de extensão, sua construção começou em 2009 e a última parte foi aberta ao público em 2014Fica disponível no site oficial os diferentes acessos.

Fonte: Hufton+Crow

Fonte: Big.dk

A região passa a perder o caráter industrial que possuía, e passa a atrair novos moradores e turistas. Novos prédios de alta arquitetura começam a surgir, podemos destacar obras de arquitetos mundialmente conhecidos, como de Zaha Hadid, Frank Gehry e Bjarke Ingels.

Fonte: Hufton+Crow

Por ser em uma estrutura elevada, o parque traz diferentes percepções para quem passeia, a linha férrea passa entre os edifícios, muitos descrevem a experiência como se a cidade estivesse se abrindo para eles.

Fonte: Iwan Baan São inúmeras as formas de apropriação do espaço, o High Line passa a ser um local para a arte, muitos prédios cedem suas fachadas cegas para artistas, é um espaço para atividades físicas, exposições, música, dança, encontros e por aí vai.

 Toda a vegetação foi inspirada pelas que haviam crescido na linha férrea enquanto estava abandonada, como se a fauna e a flora estivessem recuperado o seu lugar em meio a paisagem urbana. Aliados a isso, luminárias LED de alta eficiência foram instaladas aos trilhos para iluminar todo o caminho.

 Esse é mais um exemplo de como um projeto local pode reverberar para outras escalas, o High Line tem impacto não só na vizinhança como em toda Nova York, e serve de exemplo de como a participação popular é fundamental para a manutenção espaço urbano.

Mas e você, já pensou em algo para a sua vizinhança?

Visite o site do High Line: http://www.thehighline.org/