Urbanismo LUZ

     A iluminação noturna de uma cidade é familiar por criar cenas, dar sentimentos e cativar nosso olhar ao insinuar direções e destacar detalhes que de dia passam despercebidos. Uma nova cidade surge ao descer do sol. Não é novidade que a iluminação pública é usada para destacar patrimônios históricos, elementos arquiteturais, monumentos, e vegetações. Porém, o pensamento da luz como um conjunto, contextualizada na cidade, surgiu apenas no final dos anos 80.

      O chamado urbanismo luz, ou plano geral de iluminação, foi a primeira disciplina a propor a integração da iluminação pública nas cidades. Vias, paisagens noturnas, monumentos históricos e a iluminação geral necessária para o uso do espaço noturno se integram em planos de iluminação urbana por toda a Europa. Apenas em 1992 se expande para a América do Norte, e em 2012 temos o primeiro plano geral de iluminação brasileira em São Paulo.

Plano Geral de Iluminação cidade de São Paulo.
Fonte: Archdaily

      Apesar de ser ainda um plano não concretizado, fica visível que a luz é um recurso estético e com grande poder transformador do espaço. Todavia existe um grande abismo entre o plano e sua concretização, sendo um grande problema para os planos gerais de iluminação brasileiros o  déficit de iluminação pública, em especial na cidade informal e periférica. É complicado pensar na integração da luz, quando ela está em falta.

Cidade de São Paulo Fonte: Folha de São Paulo

      O plano geral de iluminação é desenvolvido no período de 4 a 10 meses e divide-se nas etapas de objetivos, estudos necessários da cidade para a concepção do plano, o plano geral e por fim objetivos complementares.

      Com todas as etapas concluídas se tem um dossiê completo das características necessárias para a implementação do plano.

Paisagem noturna de Dujiangyan HR – Concepto & Zhongtai Fonte: http://www.concepto.fr/

Paisagem noturna de Dujiangyan HR – Concepto & Zhongtai Fonte: http://www.concepto.fr/

      O urbanismo luz é um marco para o planejamento da iluminação pública e é visto como um grande modificador do caráter da cidade noturna e do espaço urbano que habitamos. Pensar nele é uma forma de projetar a cidade e elevá-la na sua qualidade como espaço, usos e vivência.

 

Fontes : www.archdaily.com.br 

www.folha.uol.com.br

Foto da capa: Hangzhou Grand Canal China- © Concepto & Zhongtai